Doidivana

blog da escritora Ivana Arruda Leite

É HOJE!

4 comentários

Hoje, estreia da 6a. temporada do House no canal 43, às 22h.

Capítulo especial com duas horas de duração. House no hospício. Imperdível

000shyq8

HOUSE TRATA DO NOSSO TEMOR DA DOR E DA MORTE

Foi minha filha quem me aplicou House, ainda na época da segunda temporada. Era uma tarde de domingo, eu sentei do lado dela no sofá, vi o rosto de Hugh Laurie – que eu conhecia desde os tempos de A bit of Fry and Laurie, humorístico que ele teve com Stephen Fry na TV inglesa – e em duas ou três falas cortantes eu já estava completamente viciado, sem cura à vista. Felizmente. Mas minha filha talvez tenha ido mais longe: está pensando seriamente em fazer vestibular para Medicina…

Não é muito difícil, acho, explicar por que House se tornou a série de TV mais vista no mundo. Séries médicas, há muitas, das bem dramáticas às cômicas, passando pelas fantásticas, que se misturam com histórias de terror. Porém, House é a que, ao meu ver, trata de modo mais inteligente daquilo que realmente interessa: do nosso temor da dor e da morte. O próprio doutor vive em dor física, por causa do acidente na perna. Os outros médicos da sua equipe e a Cuddy tentam tornar as suas vidinhas menos dolorosas e mais cheias de sentido. E os pacientes, claro, eles não querem sofrer mais ou morrer.

Há outra forte razão para a popularidade de House. É o personagem construído por Laurie. Ele usou a sua sólida formação de ator inglês, somou a seu jeito para comédia e criou um sujeito que, embora seja único, tem ao menos um pouco de cada um de nós, um pouco que nem sempre estamos dispostos a admitir que exista. Ah, ele é sarcástico? Quantos de nós não gostariam de mandar na lata de alguém aquelas respostas grosseiras e engraçadas? Ah, ele é um misantropo? Quantos de nós já não odiaram a Humanidade, sobretudo em filas de banco, caixas de supermercado, lojas de departamentos, ligações do telemarketing? De certa forma, então, House pensa, fala e age por nós. Por isso, ele é nosso (anti)herói.

E é por isso tudo que, a cada início de temporada, a gente fica torcendo para que as coisas mudem _ para elas poderem permanecer as mesmas (e nós também). Afinal, como House vive dizendo, people don’t change.

Arthur Dapieve é colunista do jornal O Globo, curador da Rádio GNT e professor de jornalismo na PUC-Rio.

Autor: Doidivana

escritora de forno e fogão

4 thoughts on “É HOJE!

  1. ivana,
    ainda não consegui ver nenhum episódio, acredita? Acho que vou ali na locadora e ver com legendas em japa mesmo. a conferir.
    beijinhos

    • Por que você não baixa da internet? Tem todos os episódios, inclusive os que ainda não passaram no Brasil, com legenda em português. É só dar uma busca que você encontra. Beijo

  2. Ivana, será que o Greg virou bom moço?
    O cara entrou no sanatório por causa das alucinações, e acabou fazendo terapia pra se comportar melhorar!
    Confesso que achei muito estranho…
    Beijos

    • Não, Adilson. Eu já vi os outros episódios e te garanto que o nosso velho Greg continua melhor do que nunca. É só nos primeiros capítulo que ele tá pegando leve. O segundo episódio é ainda mais bacana. Aos poucos tudo volta ao que era antes, pois como ele próprio diz: “as pessoas nunca mudam”. Beijos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s