Doidivana

blog da escritora Ivana Arruda Leite

CARTA ABERTA AO LUCIANO SERAFIM (e ao ISMAEL CANEPPELE ao mesmo tempo)

10 comentários

Luciano, os livros seguem hoje de volta pra ti, devidamente autografados. Quando tu me pediu o endereço da minha casa pra mandar OS MEUS livros, pedindo que eu os autografasse e devolvesse, achei que tu estava gozando da minha cara. Mas não. Era sério. Ontem quando cheguei do trabalho encontrei o pacotaço com quatro livros e uma cartinha escrita a mão. Letra de moleque, tu deve estar beirando os vinte anos, se tanto.

Saber que um moleque lá em Dourados (MS) se encantou pelos teus textos, se identificou com as histórias, se emocionou com elas, comprou os livros pela internet e mandou os livros pra São Paulo para que eu autografasse é dessas coisas que (desculpe o chavão) não têm preço.

Num trecho da carta, tu diz: “o valor sentimental sempre aumenta com a dedicatória do autor, ainda mais quando se é tarado por literatura como eu (como nós!)”. Sinto muito te desapontar, mas eu não sou essa que tu imagina. Aliás, ando com um bode danado de livros, letras, histórias, autores. Meu último livro me exauriu. Tô vazia vazia. Acho mesmo que nunca mais escreverei um linha sequer. Nem lerei. Chega.

Só abri uma exceção ontem, quando fui à ed. Iluminuras e pedi um exemplar do livro Os famosos e os duendes da morte, do Ismael Caneppele para o Samuel Leon de presente. Afinal, somos da mesma editora.

Cheguei em casa com o livro lido pela metade (é fininho, eu moro longe). O resto, devorei nesta madrugada. Rapaz, que coisa linda!

Eu vivo dizendo que detesto prosa poética. É verdade. Detesto mesmo. É tão raro que se produza algo realmente bom neste gênero, que eu prefiro não arriscar. Além disso, havia mais um motivo que me deixava cheia de dedos em relação ao livro:  eu já tinha visto o filme e gostado muito. Puta sacanagem com o autor. Quem pode contra o poder da imagem? A boa palavra pode. Acredite, a densidade do Ismael vai muito além do fascínio da tela. Ele tem esse dom.

Cara, eu gostei tanto do livro que tô te mandando de presente no pacote que te envio de volta. Tenho certeza que você vai adorar e se identificar MUITO com esse autor que também deve estar beirando os vinte, mas que tem bagagem pra botar muita gente grande metida a Clarice Lispector no bolso. Ele sim é Clarice. À altura de. Os “tu” e essas frases cortadas são total influência dele.

O cara é gaúcho e conta a história de um jovem sensível e atormentado lá do interior do Rio Grande do Sul. Tudo a ver com você, um jovem sensível, atormentado e tarado por literatura que vive em Mato Grosso do Sul. Coloco vocês em contato e missão cumprida.

E tem mais um elo nesta conexão maluca entre nós (e este nem eu sabia!): sabe quem descobriu o Ismael Caneppele? O Marcelino Freire, que assina a orelha do livro, e que me descobriu há quase dez anos. Eu e Ismael viemos ao mundo pelas mãos do mesmo parteiro. Isso dá uma sorte danada!

Todo meu amor a você, Luciano, ao Ismael Caneppele e ao Marcelino Freire.

E agora chega de papo porque o sol tá batendo na bunda e eu tenho que trabalhar.

Bom dia!

Autor: Doidivana

escritora de forno e fogão

10 thoughts on “CARTA ABERTA AO LUCIANO SERAFIM (e ao ISMAEL CANEPPELE ao mesmo tempo)

  1. Pingback: OS NÚMEROS DE 2010 « Doidivana

  2. por que “tu”?

  3. Ivana,

    Voltei para dizer que terminei de ler Alameda Santos…que delícia!! Amei!!
    Espero que em breve você esteja pronta para nos presentear com mais um de seus livros, aguardo ansiosamente!

    Abraços,
    Debora

  4. Querida Ivana, texto delicioso! Sempre!
    Adoro esse lugar!
    Caso queira, será uma honra ter vossuncê como visitante um dia!

  5. Antes, deixo registrada a minha inveja do tarado de Mato Grosso do Sul! haha

    E sobre o Caneppele, além de boa literatura o menino é gato! Casaria fácil!!

    Ivana,
    eu adoro seus livros e adoro seu blog!

    Beijo.

  6. Marcelino é parteiro SIM! eñcfala+nisso!

  7. IVANA, querida, saudades de vc. Faz tempo que a gente não toma umas, não come uma polenta e eta danado! Mas sempre acompanho o seu blOg, é claro. E fico feliz com a sua postagem sobre o ISMAEL. O filme, como já havia dito no meu eraOdito, é fodido! O livro idem. Conheço, faz tempo, o ISMAEL. Quem me apresentou o cabra foi o nosso amigo SANTIAGO NAZARIAN. Daí em diante acompanho o trabalho do autor de OS FAMOSOS. Sempre na torcida e maravilha! Longe de ter descoberto o ISMAEL (ele vem trilhando, sozinho, o caminho dele) – apenas vou dando a força que posso. E quando posso. Exatamente para que a boa literatura possa circular e botar para quebrar e saravá! Coisa e paixão assim – tão linda no coração do seu jovem leitor gaúcho – que vc jamais pode abandonar. A gente se revê, em breve. Amanhã, vejo vc na TV. Beijabração e té já.

  8. Aqui final do dia de um feriadão prolongado de 5 dias, que delícia de ler isso. Adorei tantas coisas aí nesse seu post, começando pelo Luciano fofura. O Marcelino teu anjo e o autor que vc cita e que dá vontade de ler .
    beijos e bora trabalhar amanhã.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s