Doidivana

blog de Ivana Arruda Leite

PROMESSA É DÍVIDA

12 comentários

Uma vez eu publiquei essa carta que a Regina Duarte me mandou aqui no blog e prometi contar a história inteira. O tempo passou e eu esqueci o assunto, até ontem quando o Edison Eduardo, que tem um site muito legal dedicado à Regina Duarte me escreveu querendo saber da carta e da história que eu prometi contar. Lá vai:

Corria o segundo semestre de 1978, eu grávida de 8 meses da Bebel, trabalhando freneticamente na campanha eleitoral que empolgava o Brasil inteiro. A primeira depois da anistia, com um monte de gente legal que há muito não pisava em solo brasileiro concorrendo a vagas de deputados e senadores. Era o tempo do PMDB no seu esplendor! Em setembro, já de licença-maternidade, entrei de cabeça na campanha do então candidato a deputado estadual Fernando Morais (um primo meu muito querido era um dos articuladores da sua campanha) e ficaba boa parte do dia no comitê (na rua Pinheiros, perto do Largo da Batata) ajudando no que era preciso. À noite, eu e o Zé Carlos (pai da Bebel) lotávamos a kombi de santinhos e íamos panfletar na porta de teatros, cinemas, restaurantes. Estávamos à disposição para o que precisasse.  Até que veio a melhor das missões: a Regina Duarte se dispôs a gravar um depoimento de apoio ao Fernando só que precisava ser NAQUELE momento. Eu, o Zé e o Luiz Antonio (o tal primo) pegamos o endereço montamos na kombi e voamos pra Lapa felicíssimos com a tarefa que nos coube dessa vez. Foi um custo encontrar a casa naqueles labirintos da Lara. Enfim, chegamos. Uma casa ampla, gostosa, sem nenhum luxo ou nada que lembrasse uma “casa de artista”. Regina nos recebeu de pijama. Juro. Um pijama velhinho, delicioso, desses de ficar em casa. Calça comprida, blusa de manga comprida, mas pijama. Ela nos recebeu com a maior simpatia e delicadeza. Sentamos na sala de estar, ligamos o gravador e ela fez um lindo depoimento que foi repetido à exaustão no horário eleitoral e nos alto-falantes pelas ruas. Antes de irmos embora, a Gabi entrou na sala e foi devidamente apresentada. Se eu já era fã da Regina, depois desse dia virei macaca total.

CORTA

Abril de 1980. Eu recém-separada, Bebel com um aninho e pouco, seguindo à risca as lições da minha ídola Malu Mulher. “Começar de Novo, vai valer a pena…”. Depois de um dos episódios, a emoção era tanta que eu peguei um papel e escrevi uma carta agradecendo à Regina, do fundo do meu coração, o bem que ela estava fazendo às mulheres brasileiras. Mandei a carta pro tal endereço que eu sabia. Nunca obtive resposta.

CORTA

Dezembro de 1980. Depois que eu me separei e resolvi começar tudo de novo, decidi que queria ser uma escritora de verdade e fui à luta. Entrei em grupos de poesia, conheci escritores, participei de concursos, publiquei um livro de poesia com mais 3 poetas com o grande editor da época: Massao Ohno. Faltando uns dias para o lançamento, num domingo à tarde, eu catei o José Luiz Aidar, um dos autores  do Quadrívio, coloquei-o no carro e falei: “vamos levar o livro pra Regina Duarte. Quem sabe ela vá ao lançamento”. Bati na porta da tal casa que eu conhecia mas, oh, tristeza, a Regina não morava mais lá. “Mas olha, ela mora nessa casa aqui ao lado”. Essa de agora era mais moderna, mais ampla, mais bonita. A maior festa rolando. Casa cheia de gente. Tocamos a campainha. Imaginem a cena e deixem pra rir depois porque a história tem que continuar. Alguém veio atender, eu disse que queria entregar um livro pra Regina.  A pessoa foi lá dentro e minutos depois Regina apareceu.

“Oi Regina, eu sou a Ivana, estou lançando esse livro de poesia, queria te dar de presente. Tem também o convite do lançamento…”

“Ah, sim, claro, que livro lindo”, ela disse já com o presente em mãos.

“Eu sou super sua fã. Adoro Malu Mulher. Até te escrevi uma carta outro dia dizendo ….”

“Ivana!!! Claro! Eu me lembro da sua carta. Entra aqui” e foi nos levando pra dentro daquela casa maravilhosa onde estava acontecendo o casamento da irmã dela!!! Chamou a mãe e me apresentou: “essa é a Ivana que escreveu uma carta linda pra mim”.

O Aidar, apatetado, não entendia nada. Eu tratei de ficar à vontade. Bebemos, comemos, fomos filmados. Regina estava encantada com uma máquina de vídeo que acabara de ganhar e filmava todo mundo. Foi a primeira vez que eu vi uma “filmadora de videotape”. Ficamos ainda um pouco por ali e fomos embora felizes da vida.

Ela não foi ao lançamento, mas em dezembro me mandou essa carta maravilhosa que eu guardo até hoje como joia de inestimável valor.

Então, a Regina Duarte é ou não é uma mulher maravilhosa???

12 thoughts on “PROMESSA É DÍVIDA

  1. Ivana, boa tarde, o Colégio de meu sobrinho, adotou o livro Fábulas de Esopo, mas aqui em Recife não tem em lugar algum, todas as livraria diz que esta Editora Escala Educacional, não vende mais este livros aqui.
    Por favor diga-me onde consigo este livro.

  2. Prezada Ivana,
    Meu nome é Ivan izzo, sou o autor da biografia de Regina Duarte que iremos lançar em abril/maio deste ano e posso te assino embaixo de TUDO o que você disse !
    Regina é um ser humano MARAVILHOSO, grandioso…de uma generosidade sem fim …
    Adorei sua história…e ela é assim mesmo…desencanada, aberta…a ponto de chamar pessoas que conhece por laços de afeto a fazerem parte de sua vida, como aconteceu com você no casamento da Maria Lucia (irmã).
    Grande beijo,
    Ivan

  3. Eu também Cleyton , afinal Regina e diva, né ?

  4. Ivana, a Regina é mesmo MARAVILHOSA!!! Ela entrou na fila do carisma sete vezes!!! E, é assim mesmo, eu acredito, sim: super simples, recebe a gente na casa dela de avental… E pijama, ehehehe…

    Te agradeço muito por atender à minha solicitação… O Fernando Morais é outro que, vez ou outra, esbarro por aí, ou melhor, conheço muita gente que gosta dele e só fala bem…

    Depois que vi a cartinha que vc recebeu da Regina (motivo desse post) a encontrei tb numa comunidade da Regina no Orkut, assim, vou fazer o seguinte: um post no meu blog com ela mas ORDENANDO que todos venham aqui ler a sua magnífica história!!! Sem falar que o seu blog, realmente, é delicioso!

    Um grandioso bjo pra ti, continue nos blogando suas histórias, e toda vez que eu passar aqui para vê-las, dou um alô…

    Edison Eduardo d:-)

  5. Também gosto muito dela. Aparenta mesmo ser uma pessoa especial. Adorei o depoimento.

    Abs

  6. Ivana, e Masao Ohno? tem notícias?

  7. Olha, Ivana não sou muito fã da Regina Duarte, mas acredite, a voz por trás da carta embeleza, encanta, aproxima e me faz acreditar nas pessoas fora dôs holofotes. Mudei, com prazer o meu conceito. Grato.

  8. eu nem achava tanto, mas passei a achar, Ivana… belo texto!

  9. Regina é linda mesmo, Ivana. Linda além da casca. Fiquei emocionadíssimo com a homenagem feita à ela no programa do Faustão dia desses. Um beijo em você.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s