Doidivana

blog da escritora Ivana Arruda Leite

DUAS OU TRÊS PALAVRINHAS A TÍTULO DE CONSELHO PARA FABRÍCIO CORSALETTI

3 comentários

Me desculpe, Fabrício, mas se me perguntassem quem no mundo não conseguirá tirar visto para os EUA eu diria: o Fabrício Corsaletti. E não é pelo fato de você ser poeta, andar sempre com a cabeça no mundo da lua, ser um cara sensível, amoroso, corinthiano. Nada disso. O problema é que você contraria frontalmente a lógica americana. Há pouco mais de um mês eu tirei meu visto. Sei bem o calvário que você passou. Além de preencher os formulários e pagar as taxas, ainda tem a bendita foto. A que eu levei não serviu. “A senhora pode tirar o seu brinco, por favor?”, disse o cara que me fez tirar uma minúscula bolinha de ouro que trago na orelha há séculos. Agora sim, com a foto nova + o recibo da declaração de imposto de renda (importantíssimo) + o extrato bancário dos últimos três meses + todos os documentos solicitados e outros que levei por minha conta (comprovante de residência provando que moro na mesma casa há 20 anos, 2 livros meus para o caso de eles duvidarem que eu fosse escritora, 1 retrato da Bebel mostrando como minha filha é linda), finalmente, eu estava pronta para a entrevista. Mas acredite, Fabrício (e agora vem o principal), nada disso teria valido se eu não tivesse seguido o conselho da minha irmã: “Ivana, se você for desse jeito que você anda, com esse cabelo, eles não vão te dar visto nenhum. Vá bem chique”. Eu obedeci. Me arrumei como para um velório. Meia de seda, salto baixo, saia sóbria, blusa discreta, casaco preto, óculos escuros. Mais chique impossível. E penteei o cabelo também. Até perfume francês eu passei. Pelo levantar de sobrancelhas do rapaz, parece que o perfume agradou. Depois de verificar os documentos, ele perguntou o que eu fazia. Entre os livros que eu levava na bolsa e o hollerith da prefeitura, achei mais seguro sacar o segundo. “Tá aprovada”, ele falou sem nem olhar o resto. Portanto, Fabrício, se conselhinhos te valem, da próxima vez não deixe de levar seu recibo do IR. Se possível, ingresse no serviço público. Mas não se esqueça de pentear o cabelo e ir o mais chique possível. Blazer azul-marinho pega muito bem. É a lógica americana. Um dia ainda nos vemos no sítio do tio Sam!

PS: o mais engraçado foi ver que na foto do visto eu estou com os brinquinhos de ouro.

Autor: Doidivana

escritora de forno e fogão

3 thoughts on “DUAS OU TRÊS PALAVRINHAS A TÍTULO DE CONSELHO PARA FABRÍCIO CORSALETTI

  1. Olá Ivana, vc como sempre, precisa, certeira, deliciosamente ótima. Te leio (ou leio-te?) sempre que possível, me faz um bem… Vc é dessas ou daquelas pessoas que se quer ter como amiga, conselheira de palpites profundos ou dispensáveis, ombro amigo, enfim, nós do lado de cá te curtimos muito. Abraço e beijo carinhoso.

  2. ivana,

    enfrentei o calvário, levei meus holleriths e respondi à pergunta “o que vc vai fazer lá?” com todo meu coração: ir aos clubes de jazz!!

    e eu fui!

    beijos saudosos!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s